Usuários de iPhones contam com um recurso bem legal quando o assunto é segurança. Falo do Bloqueio de Ativação, uma ferramenta bastante divulgada no site MacMagazine que basicamente foi criada para impedir que outra pessoa use o seu iPhone, iPad ou iPod touch, caso você o perca.

Basta você ativar o “Buscar iPhone” (em Ajustes » iCloud) e, a partir desse momento, seu ID Apple e sua senha serão solicitados antes que outra pessoa possa desligar o “Buscar iPhone”, apagar o conteúdo ou reativar o seu dispositivo. Isso, é claro, ajuda a manter o seu dispositivo seguro, mesmo que ele caia em mãos erradas. Mas agora a Anatel também está com uma solução bem simples que ajuda usuários com aparelhos perdidos/roubados.

Bloqueio de Ativação

Segundo um comunicado em seu site, a Agência Nacional de Telecomunicações informou que a partir de agora as pessoas poderão bloquear celulares perdidos, extraviados ou roubados informando à operadora apenas o número da linha. Antes, caso você não se lembre, era necessário fornecer o IMEI (international mobile equipment identity, ou identificação internacional de equipamento móvel — sequência numérica do celular equivalente ao chassi de um automóvel), algo que muitos simplesmente não faziam por não terem anotado a informação em algum lugar antes de ter o aparelho perdido/roubado. Outra novidade muito boa é a possibilidade de o usuário dar início ao processo de bloqueio em uma delegacia de polícia, no momento do registro da ocorrência.

Por enquanto esse sistema só está funcionando em alguns lugares (polícias civis dos seguintes Estados: Bahia, Ceará e Espírito Santo), mas em breve a funcionalidade estará disponível também para as polícias civil e federal de Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro e São Paulo.

A medida também beneficia empresas como Apple e Samsung que, vira e mexe, têm seus carregamentos roubados. Segundo a Anatel, lojistas e transportadoras também poderão dar início ao processo de bloqueio nas delegacias para impedir a utilização indevida de grandes quantidades de celulares novos furtados ou roubados. A diferença é que, neste caso, será preciso informar os IMEIs dos aparelhos constantes nas notas fiscais — isso porque os telefones novos não estão habilitados nas operadoras e, consequentemente, ainda não possuem números de linha para uso.

O objetivo das medidas é eliminar a utilidade dos celulares furtados e roubados, o que certamente contribuirá para inibir crimes contra pessoas, estabelecimentos comerciais e veículos de transporte de carga.

João Rezende, presidente da Anatel.

Tudo isso será possível graças ao Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (CEMI), sistema coordenado pela Anatel e administrado pelas prestadoras de serviços móveis. A base do CEMI atualmente conta com 6,5 milhões de aparelhos, os quais não podem mais ser utilizados.

Outra boa notícia é que desde dezembro de 2014 a base do CEMI é integrada à base mundial de celulares administrada pela GSM Association (GSMA). De acordo com José Alexandre Bicalho (superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel), essa integração “permite a troca de informações entre todos os países conectados à GSMA e evita que terminais roubados, perdidos e extraviados em outros países sejam ativados no Brasil e vice-versa”.

Se você está em dúvida se um determinado aparelho está ou não bloqueado por roubo ou furto — ideal para quem está pensando em comprar um dispositivo usado —, pode consultar a informação pelo no site consultaaparelhoimpedido.com.br. Neste caso, o número IMEI é necessário — para visualizá-lo basta digitar *#06# no próprio aparelho.

 

Fonte: www.macmagazine.com.br / Eduardo Marques

https://macmagazine.com.br/2016/03/08/seu-iphone-foi-roubado-e-voce-nao-ativou-o-recurso-buscar-iphone-pois-agora-ficou-mais-facil-bloquea-lo/